terça-feira, 12 de maio de 2009

Carboxiterapia



Trata-se de uma técnica nova, simples e comprovada .O tratamento utiliza o CO2 - anidro-carbônico, um gás atóxico, não embólico e presente normalmente em nosso corpo como intermediário do metabolismo celular. O CO2 puro medicinal é o mesmo utilizado em cirurgia videolaparoscopica (para promover a dilatação abdominal), histeroscopia e como contraste em arteriografias.

Como a Carboxiterapia é realizada?


A Carboxiterapia é um método não cirurgico onde o CO2 é infiltrado no tecido sub-cutâneo através de uma agulha fina (como a de insulina). A partir do ponto de injeção o gás se difunde rapidamente para as áreas adjacentes.

Como e quando surgiu?

Desenvolvida na França nos anos 30 e liderada pelo Dr. Jean Baptiste Romuef através de um estudo de aproximadamente 20 anos. Desde então, vem sendo amplamente utilizada em várias áreas da medicina.


Quais as indicações do uso da Carboxiterapia?



A Carboxiterapia é atualmente utilizada para o tratamento da celulite, da flacidez cutânea, das adiposidades localizadas, de estrias e de cicatrizes inestéticas, além de ser um tratamento complementar à lipoaspiração.

Como funciona?

O gás carbônico é normalmente encontrado em nosso organismo. Em situações de repouso nosso corpo produz cerca de 200 ml/min do mesmo, aumentando em até 10 vezes frente a esforços físicos intensos. A ação farmacológica do anidro carbônico sobre o tecido é promover uma vasodilatação local, com conseqüente aumento do fluxo vascular e da pressão parcial de oxigênio (pO2), havendo redução da afinidade da hemoglobina pelo oxigênio, resultando em maior quantidade deste disponível para o tecido. Isto resulta na melhora da micro-circulação, da oxigenação dos tecidos (potencialização do efeito Bohr.Uma maior circulaçao sanguínea significa maior fluxo de oxigênio. O aumento do oxigênio é importante pois elimina a formação de fluidos entre as células. O resultado é um menor número de células gordurosas e um subcutâneo mais firme. Quando aplicado em camada mais superficial estimula a síntese de elastina e de colágeno contribuindo para a retração da pele que passará a ter melhor qualidade estética.


Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Possíveis efeitos colaterais limitam-se a dor durante o tratamento, pequenos hematomas decorrentes da punção e sensação de crepitação no local e o aumento da pressão parcial que desaparece, em média, em até 30 minutos.Não é necessário fazer repouso ou qualquer outro tipo de precaução, já que você poderá retornar às suas atividades normais ao fim de cada sessão.

Quantas sessões são necessárias?

É possível notar a pele mais saudável, enrijecida e a redução de alguns centímetros nas medidas, normalmente, a partir da quinta a oitava sessão. O tratamento inclui de 10 a 20 sessões, divididas em uma ou duas vezes por semana. A sessão dura de 15 minutos a 30 minutos, dependendo da região.

Um comentário:

Drª Fabiana Campodônico Carreira disse...

OI Juliana, tb sou fisio e trabalho com dermato aqui em vitoria ES. Seu blog está muito legal. Ainda sou nova no blospot e não sei add. Vc pode me add?
abraços